Pequena história do Marketing – FINAL

Jornal Indústria e Comércio
Segunda, 12 de Dezembro de 1994.
20ª edição da coluna – Página F1

A pequena história vivida pelo casal de americanos em Tóquio relatada na coluna passada serviu para mostrar que algumas empresas não medem esforços para solucionar erros ou falhas no atendimento a seus clientes. Algumas, como o caso da empresa citada, preocupam-se até mesmo em solucionar o problema antes que o cliente reclame seus direitos.

Se você ainda tem dúvidas quanto a validade de se utilizar de todos os meios possíveis e imaginários para resolver o mais rápido possível eventuais falhas ou erros no atendimento aos seus clientes, talvez os números abaixo o convençam de vez que não existe custo algum que não compense um cliente satisfeito.

Experiência do cliente em relação à empresaVai realizar compras no futuroVai recomendar a outras pessoas
Sem problemas e satisfeitos84%91%
Com problemas e satisfeitos92%94%
Com problemas e insatisfeitos46%48%

O que mais chama a atenção na pesquisa acima realizada nos EUA são os percentuais para os clientes que tiveram problemas mas que foram solucionados e, portanto, ficaram satisfeitos. 92% deles afirmam que vão comprar novamente da empresa e, pasmem, 94%! (mais até do que o primeiro caso) vão indicar a empresa para outras pessoas.

Isso ocorre, imaginamos, porque quando um cliente tem um problema com alguma empresa (na verdade quem tem um problema é a empresa!) ele pode facilmente avaliar o grau de comprometimento da empresa em resolver o seu problema.

A observação de Vera Giangrande, ombudsman do Grupo Pão de Açúcar ratifica esta pesquisa. Ela afirma que pessoas atendidas em suas reclamações tornam-se mais fiéis à rede.

É até natural, pois os clientes sentem-se mais seguros em comprar de empresas as quais eles sabem que se houver algum problema elas o resolverão prontamente.

Portanto, não pense duas vezes para resolver qualquer problema com um cliente, independente do custo que envolverá a questão.

ALTA SATISFAÇÃO

Programação da Antena 1 FM que, em respeito aos seus ouvintes, tem uma das menores (se não a menor) relação comerciais/música.

BAIXA SATISFAÇÃO

Tudo bem que o Mercadorama esteja lançando marcas próprias. Mas, em consideração aos seus clientes, ele devia manter as marcas tradicionais também. É o caso da água mineral. Semana passada, na loja do Seminário, só havia produto de sua própria marca.

VEJA TAMBÉM

Preparação Psicológica

Imagino que você esteja ansioso sobre dicas de pilotagem propriamente ditas. Mas ainda não chegou a hora de sentar no carro e acelerar. Como já

Leia Mais

Marketing de Incentivos

Jornal Indústria e ComércioSegunda, 13 de Março de 1995.32ª edição da coluna – Página C3 Produtos e serviços de qualidade, preços competitivos e boa comunicação

Leia Mais

Deixe uma resposta