CONQUISTAS NA AVIAÇÃO

0
Horas de Voo
0
Aeroportos
0
Companhias
0
Aeronaves
1990

26.10.1990

Primeiro voo do curso de Piloto Privado de avião do Aeroclube do Paraná, sediado no aeroporto do Bacacheri, em Curitiba, a bordo do AB-115, também conhecido por Aero Boero, avião de instrução de fabricação argentina.

1991

15.04.1991

Após ter voado 35 horas e completado com êxito seu curso prático de PP (Piloto Privado), Sady Bordin faz o famoso voo de cheque a bordo do Piper 28, mais conhecido por Cherokee, prefixo PT-DKI, e é aprovado para receber sua licença de Piloto Privado de Avião.

1997

No final de 1997, Bordin decide deixar os cargos de professor de Marketing e Mídia da PUC e de diretor de marketing da Palm Internet para se dedicar a um novo desafio profissional: se tornar piloto de linha aérea.

1998

Bordin embarca para Fort Lauderdale, na Florida, em janeiro de 1998 para fazer os cursos de voo por instrumento (IFR), piloto comercial (PC) e avião multimotor.

15.04.1998

A bordo do PA-28 (Piper Cherokee), prefixo N4333C, Bordin faz o voo de cheque de voo por instrumento (IFR) e é aprovado para receber a licença FAA de Piloto Privado habilitado para voar sob condições de voo por instrumento (IFR).

04.05.1998

Desta vez, a bordo do BE-76 (Beechcraft Duchess), prefixo N6011E, Bordin é checado e aprovado para receber a licença de Piloto Privado para voos em aviões multimotor.

08.06.1998

Agora, a bordo do PA-34 (Piper Seneca), prefixo N4354F, Bordin é checado e aprovado para receber a licença de Piloto Comercial de avião.

Depois de cinco meses voando na Florida, onde obtem com êxito as licenças de Piloto Comercial/IFR/Multimotor, Bordin retorna ao Brasil para dar continuidade em seu objetivo de se tornar piloto de linha aérea.

De volta ao Brasil

Para surpresa e incredulidade, Sady descobre que suas horas de voo nos EUA não serão aceitas oficialmente no Brasil e que terá que revalidar, através de cheque em voo, todas as suas licenças obtidas nos EUA.

Passado o desânimo causado pela dúcha de água fria, Bordin vai atrás de avião de checadores para revalidar suas licenças americanas.

18.07.1998

A bordo do E-711ST (Corisco turbo), prefixo PT-FXG, Bordin é checado e aprovado para receber sua licença brasileira de Piloto Comercial de avião e voo por instrumento (PC-IFR).

14.08.1998

Desta vez, a bordo do PA-34T (Seneca), prefixo PT-RZA, Bordin é checado e aprovado para receber sua licença de voo de avião multimotor.

24.08.1998

Início do Ground School do Brasília, em São José dos Campos.

Finalmente, com as licenças brasileiras de PC/IFR/Multi, Sady Bordin parte para seu plano de conseguir um emprego numa companhia aérea. Todavia, apesar de estar com as licenças necessárias, o currículo de Bordin ainda era muito fraco para conseguir um emprego de copiloto na aviação comercial.

Bordin decide, então, fazer um upgrade em seu currículo: vai até a Embraer, em São José dos Campos (SP), para fazer o curso teórico (duas semanas de sala de aula e provas) e prático (20 horas) de simulador do Brasília (E-120), avião de passageiros fabricado pela Embraer.

09.10.1998

Bordin é checado e aprovado, em voo de simulador do E-120, recebendo a licença de Piloto Comercial de E-120 em Instrução.

14.12.1998

Objetivo alcançado. Bordin é contratado, como copiloto de Brasília, na companhia aérea InterBrasil Star, com sede em Guarulhos – SP.

2000

02.01.2000

Bordin é promovido a copiloto de Boeing 737 na Transbrasil, proprietária da Interbrasil.

Após um intervalo de 8 anos sem voar, devido a falência da Transbrasil, Bordin retorna à aviação pelas asas da Trip Linhas Aéreas, com sede em Campinas.

2008

19.05.2008

Após passar pelo difícil processo seletivo, Sady é admitido na TRIP como copiloto de ATR.

Início do curso teórico do ATR, em Campinas, na sede da própria empresa.

07.2008

Treinamento em simulador, na fábrica da ATR, em Toulouse, França.

08.2008

Início do treinamento em voo.

2009

06.04.2009

Início do Ground School do E-Jet, em São José dos Campos.

05.2009

É promovido a copiloto de Embraer 175 na Trip Linhas Aéreas.

2012

04.2012

É transferido para a Azul Linhas Aéreas, por conta da fusão desta com a Trip em 2012.

2014

20.11.2014

A hora da verdade!

Nos voos 2798, pilotando o Embraer 195 PR-AUE, decolando às 23:40 do aeroporto de Confins para Natal e no voo 2799 de retorno para Confins, decolando na madrugada do dia 21, Bordin é observado e avaliado pelo Comandante e Checador Flávio e recebe o sinal verde para sua promoção à comandante de Embraer 190/195 na Azul Linhas Aéreas.

Um histórico momento que sacramentou o trabalho e dedicação de oito anos voando como copiloto nas empresas Interbrasil Star, Transbrasil, Trip e na própria Azul.

Uma merecida conquista.

08.12.2014

A Azul promove um evento muito bacana, para marcar a promoção dos novos comandantes da empresa, com a entrega oficial das famosas 4 faixas, que designam a função de comandante a bordo das aeronaves.

Este evento, que ocorre na sede da Azul em Barueri, conta com a presença de diretores da Azul, os pilotos promovidos e seus familiares

Muito emocionante. Para ficar na memória.

10.12.2014

Primeiro voo como comandante na Azul.
Voo 2622, de Confins para Vitória.

Aeronave: EMBRAER190 PR-AZG

Tripulação:

  • Comandante: Sady Bordin
  • Copiloto: Francisco Costa
  • Comissárias: Pamila Pereira, Daiane Abreu e Caroline Oliveira
2018

13.06.2018

Fazendo o voo Azul 2805 de FOZ para CWB, com a ajuda de um forte vento de cauda, atingi a maior velocidade em meus 12 anos de piloto de linha aérea.

1.077 kms/hora ou 582 knots de Ground Speed, conforme registra o painel do avião.

Muito emocionante!

2019

02.01.2019

Último voo como comandante da Azul Linhas Aéreas.

Voo 2813, de Confins para Guarulhos.

Aeronave: EMBRAER195 PR-AXX

Tripulação:

  • Cmte Sady Bordin
  • Copiloto João Carlos
  • Comissárias Laisla, Carolina e Juliana
2020

12.03.2020

Voo de recheque das licenças de avião Multimotor e voo por instrumento, realizado no Seneca do Aeroclube de Santa Catarina.

HORAS DE VÔO

Tipo

Modelo

EMpresa

Horas

Jato

Boeing 737 (300 e 400)

Transbrasil

135

E-Jet (175 e 190)

Trip

2875

E-Jet (190 e 195)

Azul

2.436

Turboélice

Brasília

Interbrasil

922

ATR (42 e 72)

Trip

422

Multimotor

Apache, Beech-76, Sêneca

Particular

56

Monomotor

AB-115, Cherokee, C-172, Corisco, etc.

Particular

276

TOTAL

7.122

AEROPORTOS JÁ OPERADOS

  • Argentina

Buenos Aires

  • Aruba

Queen Beatrix Intl Airport

  • Brasil

Altamira, Alta Floresta, Aracaju, Bauru, Belém, Belo Horizonte (Pampulha e Confins), Cacoal, Campinas, Campo Grande, Carajás, Cascavel, Caxias do Sul, Chapecó, Cuiabá, Curitiba (Bacacheri e Afonso Pena), Dourados, Florianópolis, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Gavião Peixoto, Goiânia, Guaratuba, Ilhéus, Imperatriz, Ipatinga, Ji-Paraná, Joinville, Juazeiro do Norte, Londrina, Macapá, Maceió, Manaus, Marabá, Maringá, Natal, Navegantes, Paranaguá, Passo Fundo, Petrolina, Ponta Grossa, Porto Alegre, Porto Seguro, Porto Velho, Recife, Ribeirão Preto, Rio Branco, Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão), Rondonópolis, Salvador, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Luís, São Paulo (Guarulhos e Congonhas), Sinop, Uberara, Teresina, Uberlândia, Vilhena, Vitória, Vitória da Conquista.

  • Cabo Verde

Sal

  • EUA

Brigham, Craig, Delta, Fort Lauderdale, Key West, Las Vegas, Melbourne, Ogden, Pocatello.

  • França

Clermont-Ferrand

  • Ilhas Canárias

Lanzarote

  • México

Cidade do México, Tapachula

  • Panamá

Cidade do Panamá

  • Sint Maartan

Princess Juliana Intl Airport

ARTIGOS

Foz Linhas Aéreas

Se é verdade que a aviação comercial exerce grande influência sobre o incremento da atividade do turismo, não é menos verdade que o encarecimento das

Leia Mais

ILS Categoria III e a Copa de 2014

O sistema de aproximação e pouso por instrumento, utilizado pela aviação comercial do mundo inteiro e conhecida pela sigla ILS, abreviatura em inglês para “Instrument

Leia Mais