Concentração é a chave para vitória

“Para vencer, primeiro é preciso chegar ao fim”.
Fangio

Direita 3 longa sobre alto, saindo em esquerda 2 estreita, com ponte no final!

Esta mensagem codificada, muito familiar aos navegadores e pilotos que correm o rali de velocidade, é apenas uma entre as centenas que serão ditas pelos navegadores aos seus pilotos durante uma prova de rali.

Vamos fazer uma conta rápida para ver quantas mensagens um piloto recebe em média durante uma prova de rali. Partindo de uma média de 800 curvas numa prova, temos de início 1.600 informações, ou seja: o lado da curva e seu grau de dificuldade: Direita 3! Normalmente existe uma reta que liga duas curvas. Assim sendo, passamos para 2.400 informações: E3 300 D4 (Esquerda, grau de dificuldade 3, 300 metros de reta, direita grau 4). Mas isso ainda não é tudo. Freqüentemente acrescentamos mais alguma informação relevante em algumas curvas, tais como “fechada”, “longa”, “longa-longa”, “lisa”, “estreita”, “por fora”, “por dentro”, e por aí vai. Imaginando que a dupla acrescente pelo menos uma destas informações em metade das curvas, teremos mais 400 informações, que perfazem um total de 2.800 informações!

Além da preocupação do piloto em andar rápido, ele tem ainda que “processar” as 2.800 informações passadas pelo navegador em tempo real à sua tocada, detalhe que os pilotos de pista não precisam se ocupar.

Desta forma, creio eu, a concentração de um piloto precede seu talento para vencer, ou seja: o talento é importante para se andar rápido, mas não é o suficiente para se vencer, visto que a concentração será fundamental para que o piloto “processe” corretamente todas as 2.800 informações codificadas que receber de seu navegador. Uma única informação não “processada” corretamente será o suficiente para tirá-lo da prova! Exemplo: D3L ►E2Lisa c/ ][ no final (Direita grau 3 longa saindo em esquerda grau 2 lisa com ponte no final). Caso o piloto não “processe” a última parte da longa seqüência de informações (ponte no final), é bem provável que ele venha a se complicar com a tal ponte quando com ela se deparar! Para lidar com a pressão psicológica causada pela ansiedade, compromisso com o patrocinador, disputa interna numa equipe, torcida, etc, normais a uma prova de rali, o piloto deve fazer exercícios de relaxamento e de concentração, pois mesmo que seja talentoso, ele não pode deixar que uma pequena e momentânea perda de concentração – inimiga mortal dos pilotos e navegadores – comprometa toda sua prova.

Andar abaixo do ritmo também é motivo de perda de concentração.

Minha única saída de estrada no campeonato em 2002 foi ocasionada por um tremendo vacilo de concentração. Vínhamos liderando com tranqüilidade a etapa de Resende (RJ), pois os demais adversários já estavam fora da prova. O piso estava totalmente seco. Porém numa única curva de toda a prova, de grau 2, havia um tremendo barro e estava muito lisa. Na segunda passagem neste ponto, eu não atentei para a última parte da informação que o Serginho havia me passado: Lisa. Moral da história: ficamos atolados ao lado da estrada. E o pior de tudo é que conseguimos realizar uma proeza: Perdemos para nós mesmos! E convém lembrar que a curva não era mais surpresa para a dupla, pois horas antes havíamos passado por ela sem problema algum!

Será que você ainda tem alguma dúvida de que concentração é a chave para a vitória?

VEJA TAMBÉM

Políticas de preço – parte 1

Jornal Indústria e ComércioSegunda, 20 de Março de 1995.33ª edição da coluna – Página C3 Preço é a expressão, em unidades monetárias, do valor de

Leia Mais

Deixe uma resposta