Marketing Pessoal – Como anda a sua imagem?

Jornal Indústria e Comércio
Segunda, 14 de Novembro de 1994.
16ª edição da coluna – Página F1

Às vezes nos preocupamos tanto com a imagem de nossa empresa, de seus produtos e serviços que acabamos nos esquecendo que também precisamos trabalhar a nossa imagem. Da mesma forma que trabalhamos a imagem dos produtos e serviços, podemos fazer o mesmo com a nossa imagem pessoal. Você já parou para pensar que tão importante quanto o produto ter credibilidade é quem está vendendo também ter?

Podemos dizer que marketing pessoal é um conjunto de ações que visam valorizar nossa imagem pessoal, ajudando a transmitir credibilidade para o que dizemos e fazemos.

Algumas regrinhas podem ajudá-lo a melhorar seu marketing pessoal.

1° – Tenha sempre em mão seu cartão de apresentação, mesmo que você seja aluno. Ou você quer ver seu nome e telefone em guardanapos de papel?

2° – Nunca chegue atrasado a compromissos, profissionais ou não.

3° – Sempre cumpra o que prometer, e se você não puder fazê-lo, justifique-se.

4° – Sua aparência é sua embalagem. Você não precisa andar de Hugo Boss para impressionar, mas pelo menos ande com roupas discretas e adequadas ao ambiente os quais você freqüenta.

5° – Cuidar do cabelo e da barba (e maquilagem) é prova de auto-estima e passa uma boa impressão.

6° – E por falar em boa impressão, lembre-se sempre desta regrinha: Você só tem uma única chance de causar uma primeira boa impressão.
Nunca despreze a oportunidade, qualquer que seja, de causar uma boa impressão. Através de pessoas que você nem imagina você pode conseguir boas dicas de emprego ou de negócios.

ALTA SATISFAÇÃO

Fantástica promoção da Peugeot da Bélgica. O jovem que comprar um determinado modelo zero km, rodar pelo menos 20.000km, não receber nenhuma multa e nem sofrer nenhum acidente, pode trocar por um mesmo modelo zerinho! Ao final de três anos.

BAIXA SATISFAÇÃO

A maneira como uma empresa resolve seus erros é um diferencial marcante, pois pode-se até mesmo fidelizar um cliente na correção de erro. Não é o caso da Unimed. Ana Tereza teve que enfrentar fila para acertar uma prestação que chagara vencida. Interessante notar que fora pago uma prestação antecipada que chegara no lugar da que chegou vencida. E a empresa simplesmente ignorou este fato e insistiu em cobrar juros!

VEJA TAMBÉM

Marketing de Incentivos

Jornal Indústria e ComércioSegunda, 13 de Março de 1995.32ª edição da coluna – Página C3 Produtos e serviços de qualidade, preços competitivos e boa comunicação

Leia Mais

Deixe uma resposta