Mas afinal, o que é marketing – parte 3

Jornal Indústria e Comércio
Segunda, 29 de Agosto de 1994.
5ª edição da coluna – Página F1

Finalizando a dissecação do conceito de Kotler, resta-nos analisar a rentabilidade da empresa. Pois, sendo o lucro essencial à sobrevivência da empresa, esta, por sua vez, não pode, apenas, preocupar-se em satisfazer as necessidades e desejos de seus clientes. Mesmo porque não poderá fazê-lo por muito tempo, visto que sem a necessária rentabilidade, a empresa fechará suas portas ao longo do tempo, mesmo que seus clientes estejam plenamente satisfeitos com os produtos ofertados. Basta ver o que ocorreu no mercado doméstico de aviação civil. Após a entrada de Canhedo na Vasp, que lançou mão de uma política comercial agressiva e predatória, todas as três grandes empresas do setor fecharam o ano com prejuízos substanciais. Até mesmo nos EUA, 10 anos após o setor ter sido desregulamentado, sua mais famosa e tradicional companhia aérea, símbolo do império econômico norte-americano, a Pan American, teve sua falência decretada de forma surpreendente, deixando milhares de passageiros a ver navios (ou melhor, aviões!).

Desta última análise a respeito da importância da rentabilidade no marketing, podemos concluir , também, que marketing é um meio para se atingir a meta empresarial (lucro).]

O LEITOR PERGUNTA

Como devemos enfrentar o mercado no ambiente do Plano Real? Conrado Canzonieri, sócio-gerente da Ind. Paranaense de Lavanderias.

Caro Conrado: À sombra dos ganhos financeiros, muitas empresas repassavam os custos de sua ineficiência aos seus clientes. Isto, felizmente, acabou. Sem estes fáceis rendimentos, as empresas serão obrigadas a cobrar somente e exatamente pelos serviços prestados.

ALTA SATISFAÇÃO

Para maior comodidade de seus correntistas, o Banco Real está enviando por Sedex seus talonários de cheques. Um passo à frente para conquistar a fidelidade de seus clientes.

BAIXA SATISFAÇÃO

Atendimentos na rede credenciada Inamps. Temos visto pelas reportagens de TV que as pessoas que procuravam seus serviços não estão sendo atendidas com a mínima dignidade que um ser humano merece. Quem diria, então, como clientes. Ou um contribuinte não é um cliente?

VEJA TAMBÉM

Atitude de Campeão

“Noventa por cento daqueles que fracassam não estão derrotados….Apenas desistem.” Paul J. Meyer Será que podemos transformar uma pessoa comum numa campeã, mesmo que ela

Leia Mais

Foz Linhas Aéreas

Se é verdade que a aviação comercial exerce grande influência sobre o incremento da atividade do turismo, não é menos verdade que o encarecimento das

Leia Mais

Deixe uma resposta